Tremor de 3,2 de magnitude é registrado próximo a Montes Claros

Moradores do bairro Vila Áurea saíram de casa com medo das rachaduras provocada por tremores. (Foto: Valdivan Veloso/G1)Moradores do bairro Vila Áurea saíram de casa com medo das rachaduras provocada por tremores. (Foto: Valdivan Veloso/G1)
O Observatório Sismológico de Brasília (Obsis) detectou um tremor de terra de magnitude de 3,2 na tarde desta terça-feira (1) sentido na cidade norte-mineira de Montes Claros. De acordo com o observatório, o epicentro do tremor foi próximo à cidade.
  •  

Técnicos analisam área afetada por tremor e instalam sismógrafo (Foto: Divulgação/Observatório da UnB)Tremor foi registrado por um dos sismógrafo
instalados em Minas Gerais (Foto: Divulgação /
Observatório da UnB)

“É um evento fraco, mas que assusta. As pessoas que estavam paradas e próximas ao epicentro puderam sentir com maior intensidade, se comparadas com aquelas que estavam em movimento e afastadas do epicentro”, comenta a subchefe do Obsis da Universidade de Brasília, Mônica Von Huelsen.

Ainda segundo Mônica Von Huelsen, o abalo sísmico foi detectado por duas estações em Minas Gerais e uma em Goiás, sendo respectivamente Itacarambi, Governador Valadares e Catalão.

O Corpo de Bombeiros registrou cerca de 30 ligações referentes a tremores de terra em Montes Claros. Segundo os bombeiros, não houve graves consequências em decorrência dos abalos sentidos pelos moradores.

Na região norte em Montes Claros foi registrada a maioria das ocorrências provocadas pelo tremor. O abalo desta terça-feira mudou mais uma vez a rotina dos moradores do bairro Vila Áurea.
Medo de que o teto desabe, faz família de Dalva Bezerra mudar a rotina. (Foto: Valdivan Veloso/G1)Teto da casa de da doméstica Dalva Bezerra
surgiram com os tremores.
(Foto: Valdivan Veloso/G1)
Com medo de desabamento, a empregada doméstica Dalva Bezerra afirma que irá passar a noite na varanda da casa. “Hoje eu não tenho coragem de dormir lá em cima. Vamos dormir todos aqui embaixo para evitar acidentes”, explica.

Dalva afirma ainda que parte da casa já não é muito utilizada por causa das rachaduras que surgiram com os tremores. “Fomos orientados pelos bombeiros a trocar o gesso do teto por PVC. Ainda não conseguimos trocar de dois quartos e sempre que há um abalo percebemos que as fendas estão aumentando”, afirma.

Também assustada, aposentada Maria Braulina não esconde o medo em permanecer dentro de casa. “Estava tomando banho quando senti primeiro tremor. Logo depois senti o outro e percebi que as rachaduras aqui em casa estão aumentando. Em algumas partes da casa sempre passo correndo com medo de desabar”, afirma.

A estudante Ingrid Bessoni, moradora do bairro Planalto, conta que no momento do tremor também estava tomando banho.
“Não fiquei assustada, mas senti o tremor por volta de 12h40”, relata a estudante. Vários moradores de Montes Claros relataram o ocorrido em seus perfis nas redes sociais, o que, devido à data de 1º de Abril, Dia da Mentira, foram interpretados em primeiro momento como brincadeiras por parte da população.
A informação dos abalos também foi confirmada pelo coordenador da Defesa Civil de Montes Claros Mattson Malveira, que relata dois abalos na cidade. “O primeiro tremor foi sentido às 13h e o segundo por volta das 13h20. Ambos foram relatados por toda a cidade, mas com maior intensidade na região Norte de Montes Claros”, comenta o coordenador.

O tremor de maior intensidade registrado na cidade foi de 4,2 de magnitude ocorrido em 19 de maio de 2012.
Fonte:G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.