Terceira temporada do “The Ultimate Fighter” estreia neste domingo em horário problemático da Globo, Confira!

Neste domingo, dia 09 de março, estreia a terceira edição do reality show ‘The Ultimate Fighter Brasil’, com 32 lutadores de pesos médios e pesados em busca de um lugar entre os principais atletas de MMA do mundo. Nos dois primeiros episódios, os atletas fazem lutas eliminatórias e apenas os 16 vitoriosos se mudam para a casa do ‘The Ultimate Fighter’, onde passam a treinar juntos.

Porém, o reality de luta será exibido em um horário problemático da Globo, onde a emissora segue com baixos índices e vem perdendo a liderança para Silvio Santos, mesmo levando ao ar o “Big Brother Brasil 14″. Vale lembrar que a edição anterior do programa perdeu diversas vezes para o SBT.

Por outro lado, na área comercial o “The Ultimate Fighter” vai muito bem e conta com seis patrocinadores. A seguir confira mais informações sobre a atração

Uma vez na casa, os participantes são divididos em duas equipes, lideradas pelos ícones e rivais do UFC Wanderlei Silva e Chael Sonnen. Novidade na temporada, os técnicos contam, nesta edição, com o reforço das campeãs mundiais Isabel Salgado, do vôlei de praia, e Hortência Marcari, do basquete, respectivamente. Semanalmente, os atletas de cada categoria se enfrentam no octógono e determinam quem avança na competição. Os dois finalistas de cada divisão vão lutar em um evento ao vivo do UFC no Brasil, dia 31 de maio, que será transmitido ao vivo pela Globo e trará também a aguardada luta entre Sonnen e Wanderlei.

“Eu participei das outras duas edições do TUF e posso dizer que nesta, com certeza, temos atletas diferenciados. Não tem como não se envolver com a história de vida de cada um desses caras. Quanto à convivência com o Chael Sonnen, não poderia ser diferente. Um cara que fala mal do meu país, da minha gente e depois vem dizer que é promoção, não merece minha consideração e muito menos amizade. Isso vai ficar bem visível no programa”, deixa claro Wanderlei.

“Meu time começou em desvantagem justamente por eu falar inglês e eles português. Mas a força de vontade dos atletas me surpreendeu. Eles estavam sedentos por aprendizado e fizeram um ótimo trabalho. Posso dizer que Wanderlei Silva também fez seu papel, inclusive acredito que ele foi infinitamente melhor técnico do que é lutador, afinal, todos os seus bons resultados dentro do ringue foram uma grande mentira”, desdenha Sonnen.

Com idades entre 18 e 35 anos, os 32 participantes vieram de diversos cantos do Brasil em busca da chance de competir por um contrato com o UFC e foram escolhidos a partir de centenas de candidatos que se inscreveram para a primeira etapa eliminatória do programa. Eles passaram por análises de cartel profissional, entrevistas e exames médicos, além de testes de suas habilidades de luta em pé e no chão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.