Social empata em casa com o Uberlândia e reclama da arbitragem

Por 

Partida terminou empatada em 2 a 2. (Foto: Patrícia Belo / Globoesporte.com)Partida terminou empatada em 2 a 2. (Foto: Patrícia Belo / Globoesporte.com)

Emoção do início ao fim. Essa pode ser a definição para o jogo entre Social e Uberlândia pela quarta rodada da hexagonal final. Sem vencer nesta segunda fase da competição, o time de Coronel Fabriciano lutou até o apito final para conseguir a vitória dentro de casa, mas ficou somente no empate de 2 a 2.
Sob forte chuva, o grupo alvinegro conseguiu arrancar o empate no segundo tempo, depois de começar a partida perdendo por 2 a 0. Com o resultado, as duas equipes não alteraram suas classificações na tabela. O social permanece na quarta posição, agora com três pontos e o Uberlândia chegou aos sete pontoas marcados, ocupando a terceira colocação.
O Social volta a campo no próximo domingo, 30, às 10 horas, contra o Tricordiano, novamente no Luisão. Já o time do Uberlândia enfrenta em o Democrata-GV, o atual líder da competição, no estádio do Mamudão.
Chuva de gols
No primeiro tempo de jogo, as duas equipes apresentaram um bom futebol, com muita técnica e disposição em busca do gol. A diferença foi que o time do Triângulo aproveitou as oportunidades que teve as converteu em gol. Já o Social parecia ter deixado a sorte nos vestiários: durante os 10  minutos iniciais, o grupo alvinegro desperdiçou quatro chances de abrir o marcado. 
Aos 13 minutos, o Uberlândia desceu pela direita, e após cruzamento de Edvan, Alisson falhou no corte. A bola sobrou para Gabriel, que girou e chutou forte de perna direita para abrir o placar, em Coronel Fabriciano. 1 a 0 para o time do Triângulo. 
Aos 24, Evandro ampliou para o Periquito. O atacante cobrou uma falta na entrada da área, com perfeição. O goleiro Alisson não teve chances de evitar que o Uberlândia ampliasse o placar e terminasse a primeira etapa em vantagem. 
Massagista entra em campo
A etapa complementar foi marcada pela expulsão do goleiro do Uberlândia, e pela inusitada invasão de campo do massagista do time visitante. Após entrar no gramado, ele caiu na área, e disse ter sido atingido na cabeça por um objeto arremessado pelos torcedores do Saci. 
A Polícia Militar teve que escoltar o juiz até os vestiários.  (Foto: Patrícia Belo / Globoesporte.com)A Polícia Militar teve que escoltar o juiz até os vestiários. (Foto: Patrícia Belo / Globoesporte.com)


Com gás para virar a partida o time socialino voltou a campo atacando em busca do primeiro gol. E ele saiu. Aos 11 minutos Daniel sofreu pênalti. Anderson Toto bate e diminuiu o placar.
Chuva forte em Fabriciano e jogo quente no Luisão. Aos 35 minutos, o goleiro Gleisson recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Como o time do Uberlândia já havia feito as três substituições, Bruno Henrique, atacante, foi para o gol.
E com um atacante no gol, logo no primeiro lance após a saída de Gleisson o Social conseguiu empatar a partida. Após cruzamento, o “goleiro” tentou tirar, mas não conseguiu, deixando a bola nos pés de Daivid, que de meia bicicleta marcou o gol de empate.
Depois do empate, o Social foi totalmente para o ataque, para aproveitar a fragilidade do goleiro improvisado e sua superioridade numérica. Para tornar o jogo ainda mais dramático, o massagista, do Uberlândia entrou em campo e caiu na área do Social, já nos acréscimos.
Apesar da paralisação, o árbitro, que já tinha dado cinco minutos de acréscimo, não acrescentou nenhum tempo a mais à partida, causando revolta dos jogadores do time de Coronel Fabriciano.

Após o término da partida, jogadores, comissão técnica e até alguns torcedores do Social invadiram o campo e cercaram o árbitro, que tentava se justificar. A Polícia Militar teve que intervir e escoltar o juiz até os vestiários. 
Fonte:Globoesporte.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.