Polícia investiga se homem matou mãe e padrasto em Rolim de Moura

Magda Oliveira


Um crime ocorrido na noite de quinta-feira (13) chocou os moradores de Rolim de Moura (RO). De acordo com a polícia, o casal Iraides Mafei Vieira, de 65 anos, e Luiz Carlos Cleto, de 40 anos, foram mortos degolados na casa onde moravam. O filho da mulher, de 43 anos, que também apresentava um ferimento no pescoço, foi quem acionou a polícia. Duas linhas de investigação estão sendo estudadas e uma delas indica que o filho da vítima, que tem esquizofrenia, pode ter sido o autor dos crimes.
Os corpos das vítimas foram encontrados amordaçados e Luiz teve as mãos amarradas. A faca usada no crime foi localizada pela perícia em um dos cômodos da casa. Ao portal G1, o delegado regional Renato César Morari disse que está trabalhando na busca de um suspeito, indicado pelo filho de Iraides, durante seu depoimento. “Fomos até a residência do suposto criminoso, mas ontem [quinta-feira (13)] mesmo, por volta das 23h, constatamos que ele [suspeito] foi embora com a família e os pertences dele, deixando, na residência, dois celulares”, afirma o delegado. Para a polícia, isso seria um indício de fuga.
A polícia também apura se o filho de Iraides pode ter cometido os dois homicídios. “Até então, ele sofre de esquizofrenia. Há 10 anos ele matou a cunhada da mesma forma. A lesão em seu pescoço era divergente das encontradas na mãe e no padrasto”, relatou o delegado.
Amigo da família há mais de 20 anos, o taxista Raul Ramos, de 54 anos, contou que as vítimas não tinham inimigos. Ao G1, Raul afirmou que há 10 anos o filho de Iraides cometeu um crime com as mesmas características em que a mãe dele e o padrasto foram vítimas. “Ele toma remédios controlados”, disse Raul.
A comerciante Eny Paz, de 53 anos, era vizinha de loja de Iraides e disse que não acreditou quando ficou sabendo da tragédia. “A família trabalhava junto em um restaurante e em uma loja de propriedade deles. O filho de Iraides sempre ajudou a mãe, mas é um homem bastante reservado”, relata.
Morari afirmou que, para ter certeza sobre a autoria do crime, é necessário que a polícia encontre o suspeito indicado pelo filho de Iraides. O homem recebeu atendimento médico e, segundo a direção do hospital, o ferimento foi superficial.

 Fonte:G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.