Paysandu vira sobre o Santa Cruz e vence a primeira no segundo turno

Jô (Foto: Akira Onuma/O Liberal)Jô foi um dos destaques na vitória do Paysandu diante do Santa Cruz (Foto: Akira Onuma/O Liberal)


Uma noite especial para Jô, um quase estreante. O atacante entrou no segundo tempo, quando o Paysandu ainda perdia para o Santa Cruz, e mudou a história do jogo ao empatar a partida aos 31 do segundo tempo e iniciar a jogada que resultou no quarto e último gol da vitória por 4 a 2 sobre o Tigre do Salgado. Mas a resultado parecia tomar outro rumo na etapa inicial. Em dois lances de bola parada, o time de Salinas balançou as redes com Rafael Paty. Até que os bicolores responderam com Pikachu, Dênnis, Jô e Heliton. Eles deram números finais ao confronto desta quinta, dia 13, no Estádio Maximino Porpino, em Castanhal.
Esta foi a primeira vitória do Paysandu neste segundo turno. O resultado deixou o Papão, pelo menos provisoriamente a depender dos próximos jogos da rodada, na liderança com quatro pontos em dois jogos. Já o Santa Cruz segue sem vencer no estadual, é lanterna e corre sério risco de voltar à primeira fase do Parazão na próxima temporada. Na próxima rodada, os bicolores enfrentam o Paragominas na Curuzu, enquanto o Tigre recebe o Clube do Remo no mesmo local.
Bola parada decisiva no primeiro tempo
O começo de pouca movimentação durou pouco, apenas até os 14 minutos do primeiro tempo. O Papão tinha maior poder ofensivo, mas acabou relaxando na marcação e levou o primeiro gol de cabeça. Rafael Paty aproveitou o escanteio e abriu o marcador em Castanhal. O Paysandu não sentiu e igualou em seguida com Pikachu, depois de cruzamento na medida de Djalma. A chance da virada veio em seguida com Dênnis, mas o arremate saiu fraquinho e Jorge Miguel fez a defesa com facilidade.
A noite parecia não ser boa para a defesa bicolor. Sem Charles, titular absoluto que foi poupado pelo técnico, o Paysandu levou o segundo gol novamente de bola parada, com Paty. Só que dessa vez, o Papão não conseguiu o empate apesar das investidas pelo meio-campo com Pikachu, Marcos Paraná e Heverton. Àquela altura do jogo, Mazola já havia queimado uma substituição. Lacerda sofreu um corte no supercilio e deu lugar ao volante Vanderson. 
Na outra ponta, o Santa recuou e passou a explorar os contra-ataques. Alex Gaibu caia pelas laterais e Bruno articulava na criação, mas não era suficiente. Faltava o passe final para deixar o atacante na cara do gol. Enquanto isso, o Papão mantinha a pressão, mas o seu artilheiro também fazia falta e, apesar da maior posse de bola, o time pecava na finalização.
Paysandu pressiona e consegue a virada
Sem nenhuma mudança, as duas equipes voltaram para o segundo tempo com as mesmas formações. A única alteração parecia ser de postura. O Papão se atirou ao ataque e redobrou a atenção nos lances aéreos, enquanto o Santa Cruz, claramente e dito por seu treinador na volta para a etapa complementar, apostaria na velocidade dos contra-ataques e em cadenciar a partida. 
O cenário ficou nisso. O clube de Salinas abriu mão de jogar e os bicolores mantiveram a pressão. Marcos Paraná arriscou de longa distância e nas bolas paradas. João Paulo chegou a carimbar a trave em uma cobrança de falta. Mazola Junior mudou o sistema para 4-4-2 quando colocou o atacante Jô no lugar de Heverton. Era mais uma tentativa de sufocar o adversário. 
De tanto insistir, o Paysandu conseguiu o empate. Foi através de Jô. O atacante recuperou uma bola perdida e acertou um belo chute, no ângulo de Jorge Miguel. Somente depois disso, o Santa buscou jogar novamente, mas acabou penalizado pela postura que adotou no começo do segundo tempo. Aos 37 minutos, Dênnis recebeu na entrada da área e chutou cruzado para virar o placar no Modelão. Heliton ainda teve tempo de aumentar: 4 a 2.
Fonte:Globoesporte.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.