Para Campos, incluir outros temas na CPI da Petrobras é ideia ‘infantil’ do PT

Eduardo Campos discursa em evento no Palácio (Foto: Luna Markman/ G1)“Neste momento, o que a sociedade deseja saber é o que
há com a Petrobras”, diz Campos (Foto: Luna Markman/ G1)
O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), classificou como “infantil” a tentativa do PT em propor que a CPI mista da Petrobras também investigue outros assuntos, como as supostas irregularidades nas licitações do metrô de São Paulo.
Nesta quinta (27) o líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho (SP), disse que proporia  um “adendo” ao requerimento de criação de CPI mista da Petrobras. O petista quer incluir como tema da comissão as denúncias de formação de cartel nas obras de expansão no metrô de São Paulo, definidas por ele como “casos concretos de corrupção no PSDB”.
Vicentinho ameaçou ainda propor que a comissão investigue denúncias ligadas ao PSB, partido de Campos. O deputado citou como possível alvo investigações em torno do Porto de Suape, em Pernambuco.
Campos, que é provável candidato do PSB na disputa à presidência da República, afirmou que as investigações não são um “debate eleitoral”.
“Não é um debate eleitoral: ‘investiga aquilo, se não investiga aquilo outro’, que se investigue tudo com a maior tranquilidade do mundo. Agora, não vamos para uma atitude infantil de tentar tirar o foco de um debate. Já vi esse mesmo tipo de argumento, em outras épocas, naufragar diante das evidências”, disse, em entrevista na sede do governo estadual, nesta sexta (28), no Recife.
O governador disse ainda que a tentativa de “puxar” outros assuntos “parece uma confissão de culpa”.
“Parece quase uma confissão de culpa, quando, ao invés de você responder com objetividade e tranquilidade um assunto, tenta puxar outros. Se cabem esclarecimentos sobre outros assuntos, que eles sejam dados, por quem de direito, mas neste momento o que a sociedade deseja saber é o que  há mesmo com a Petrobras”, disse.
Na última terça, a oposição decidiu agir pela a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a Petrobras, sobretudo as suspeitas de superfaturamento na compra, pela estatal, da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA).

PSDB, DEM e PPS coletam, em paralelo, assinaturas para três requerimentos: um de CPI mista (que reúne deputados e senadores), de autoria do líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR); outro de CPI somente no Senado, de autoria do senador Álvaro Dias (PR); e um terceiro, também de autoria do senador do Paraná, para uma CPI mista.

O requerimento para uma comissão somente no Senado foi protocolado nesta quinta (27) na Secretaria-Geral da Casa. Porém, segundo o líder do PSDB na Câmara, Antônio Imbassahy (BA), a tendência é reunir esforços, a partir da próxima terça, para aprovar a CPI mista.
Política ambiental
Eduardo Campos conversou com a imprensa durante lançamento de programas de política ambiental, na sede do governo estadual. O governador assinou seis decretos que, somados, protegem 7.614,35 hectares de caatinga e 5.204 hectares de mata atlântica, em Pernambuco, além de acordos e protocolos de cooperação para ações ambientais, como compra de carros e bicicletas elétricas e instalação de prédios verdes.
Para o secretário estadual de Meio Ambiente, Sérgio Xavier, que foi candidato pelo PV em oposição a Eduardo Campos, nas eleições de 2010, esses esforços em prol da causa verde atraíram a simpatia da ex-senadora Marina Silva. Ela era do PV e se filou ao PSB em 2013, após tentativa frustrada de criar o novo partido Rede.
“O próprio governador declarou que tinha uma luta focada nas questões dos direitos humanos, democracia, busca de igualdades e deixava a questão ambiental em segundo plano. Depois, ele percebeu que era uma questão fundamental para a qualidade de vida das pessoas e esses resultados deixam Marina mais motivada a participar desse processo”, disse.
Fonte:G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.