Inter atropela Remo no Pará e elimina jogo de volta na Copa do Brasil: 6 a 1

Enfim, acabou a D’Alependência. Após 518 dias, o Inter conseguiu vencer sem D’Alessandro. Na noite desta quarta-feira, os comandados de Abel Braga fizeram 6 a 1 no Remo no irregular gramado do Mangueirão. De quebra, garantiram a classificação à segunda fase da Copa do Brasil sem necessidade do jogo de volta.
Logo no primeiro tempo, os gaúchos já tinham a vantagem necessária para seguir no torneio sem realizar o segundo embate com os paraenses. O primeiro gol saiu aos 19 minutos. Alan Patrick, o substituto do camisa 10 colorado, cobrou escanteio na cabeça de Fabrício, que manteve sua faceta artilheira e guardou. Aos 42, o ex-jogador do Paysandu Rafael Moura recobrou a rivalidade de nove anos atrás. Gilberto avançou pela direita e passou para o centroavante, que não deu chances para Fabiano.
Na segunda etapa, o Inter aumentou o escore. Aos seis minutos, Jorge Henrique saiu em velocidade pela esquerda e buscou Rafael Moura. Max tentou evitar o passe, mas levou azar e fez contra. Os gaúchos não aliviaram. Aránguiz marcou de pênalti aos 25 e, quatro minutos depois, Alex anotou o quinto, em cobrança de falta. O Remo diminuiu com Val Barreto, que marcou após erro de Paulão, aos 36. Nem o tento dos donos da casa acalmaram o Colorado. Aos 42, Rafael Moura fez o seu segundo. Um golaço. De fora da área, chutou sem chances para Fabiano. 

Na próxima fase, o Colorado pega o vencedor entre Barbalha, do Ceará, e Cuiabá. Agora, o Inter volta a focar no Gauchão. Neste domingo, o time de Abel Braga pega o Lajeadense. A partida será disputada às 16h, na Arena Alviazul, em Lajeado. Já o Remo foca suas atenções na Copa Verde. No mesmo dia, tem o clássico com o Paysandu. O embate ocorrerá às 18h30, no Mangueirão.
Inter abre vantagem com Fabrício e Rafael Moura
Empurrado pela torcida, o Remo tentou iniciar o jogo no campo de ataque. O time de Charles Guerreiro buscava imprimir velocidade com as arrancadas pela esquerda de Thiago Potiguar. Só que o primeiro lance de perigo partiu do Inter. Aos seis minutos, após bobeada da zaga dos mandantes, Jorge Henrique emendou, mas mandou por cima do gol de Fabiano. Dois minutos depois, Alex cobrou escanteio, a defesa do Remo voltou a vacilar e Ernando chutou forte. Fabiano, bem colocado, salvou o Azulino.
Inter comemora gol contra o Remo (Foto: Alexandre Lops/Divulgação, Inter)Inter comemora gol contra o Remo (Foto: Alexandre Lops/Divulgação, Inter)

A pressão do Inter surtiu efeito. Aos 18, Alan Patrick bateu escanteio na cabeça de Fabrício que, no primeiro poste, só desviou do goleiro, abrindo o placar. Em desvantagem, o Remo se atirou para frente. Athos e Thiago Potiguar tentavam furar o bloqueio colorado, mas tinham dificuldades em levar a melhor. Leandrão quase não recebia a bola.
E, se os donos da casa se ressentiam de uma melhor qualidade para incomodar Dida, Fabiano não tinha sossego. Aos 33, Gilberto arriscou da intermediária. A bola desviou, fez uma curva e acertou a rede, mas pelo lado de fora. O Inter não se deu por satisfeito e buscou ampliar o escore ainda antes do intervalo. Aos 40, Alex cruzou da esquerda para Rafael Moura, que arriscou. A defesa do Remo deu um leve toque e evitou o gol. Dois minutos depois, o He-Man não perdoou. Gilberto roubou a bola e encontrou o centroavante dentro da área, que concluiu para o fundo das redes.
Colorados seguem no ataque e constroem goleada
O Remo voltou para a segunda etapa com uma troca. Charles Guerreiro sacou Athos e colocou Zé Soares na equipe. E o atacante, logo em seu primeiro lance, obrigou Dida a fazer grande defesa. Aos dois minutos, recebeu na entrada da área, girou sobre a marcação e buscou o ângulo. O goleiro colorado, atento, espalmou, cedendo escanteio.
Só que, assim como ocorreu no primeiro tempo, o ímpeto inicial não serviu para nada. E quem marcou foi o Inter. Quatro minutos depois, Jorge Henrique arrancou pela esquerda, deixou o defensor do Remo e cruzou rasteiro. Max tentou afastar, mas foi infeliz e mandou contra o patrimônio.
E os donos da casa, além do placar desfavorável e da qualidade técnica inferior, ainda foram acometidos do azar. Zé Soares sentiu e precisou deixar o gramado aos 17. Ratinho o substituiu. A situação dos paraenses em nada melhorou e, aos 24, Aránguiz recebeu passe e caiu dentro da área. Pênalti. O próprio chileno pegou a bola e mandou forte, anotando o quarto no minuto seguinte. Motivo para diminuir o ritmo? Nada disso. Quatro minutos depois saiu o quinto. Alex bateu falta com maestria no canto esquerdo de Fabiano.
O Remo queria o seu gol de honra. Aos 32, Ratinho recebeu dentro da área, mas, sozinho, chutou para fora. Quatro minutos depois, o Inter cochilou e os donos da casa conseguiram descontar. Paulão errou o cabeceio. Val Barreto aproveitou, invadiu a área e chutou sem chances para Dida. Só que a noite era de Rafael Moura. E, aos 42, deu números finais ao embate. Após receber  a bola de fora da área, se livrou de dois marcadores e chutou sem chances para Fabiano. Final do jogo: 6 a 1 e vaga garantida.
Fonte:Globoesporte.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.