Homem morre e 7 são feitos reféns durante assalto em pousada no AM

Girlene Medeiros

Assalto aconteceu na Pousada Anaconda (Foto: Divulgação/Pousada Anaconda)Assalto aconteceu na Pousada Anaconda
(Foto: Divulgação/Pousada Anaconda)
Um homem morreu com um tiro e sete pessoas foram feitas reféns durante assalto à Pousada Anaconda em Iranduba, cidade localizada a 27 km de Manaus. Três homens armados invadiram a hospedagem, na tarde desta quinta-feira (13). Dez turistas estrangeiros eram hóspedes no local, mas não estavam no estabelecimento. Um homem foi preso.

A pousada está localizada em um ramal do km 27 da rodovia Manoel Urbano (AM-070). Estavam hospedados três argentinos, um turco, dois russos e quatro ingleses, segundo a Polícia Militar da cidade. O local é distante da sede do município e a gerência informou a ocorrência à polícia no início da noite.

O assalto aconteceu por volta de 16 horas quando três criminosos entraram na pousada armados com uma espingarda calibre 12. Eles amarraram hóspedes e funcionários. Um dos trabalhadores ficou livre e foi forçado pelos homens a indicar o caminho dos quartos da pousada. Foram levados a quantia de R$ 1,8 mil, tablets, joias e câmera filmadora.
A gerência do estabelecimento contou ao tenente da Polícia Militar Helyelton Almeida que um dos assaltantes perguntou ao cozinheiro do local onde estava a chave dos quartos. O funcionário, de 41 anos, teria apontado para o balcão da cozinha, mas os homens não encontraram o objeto e atiraram na perna do trabalhador que estava amarrado.

O tiro atingiu a virilha da vítima. Ele foi levado ao Hospital 28 de Agosto, em Manaus, mas não resistiu ao ferimento. O corpo do homem foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), na Zona Norte da capital, onde aguarda ser reconhecido por familiares.

Cristina Urtecho, de 40 anos, proprietária da pousada, contou ao portal G1 que o cozinheiro foi socorrido pelos próprios funcionários. “Meu marido saiu com um senhor em uma voadeira, até a cachoeira para pegar carro, mas não tinha socorro lá. O médico em Manaus disse que se ele tivesse chegado antes ao hospital, ele ainda estaria vivo. Ele morreu de tanto sangrar”, disse.

Os policiais militares de Iranduba tiveram que atravessar o Rio Negro com uma balsa devido à subida do nível das águas que isola a hospedagem em época de cheia. “Com a subida do nível do rio, os locais ficam isolados. Fica até difícil de a gente conseguir chegar a tempo”, afirmou o tenente da Polícia Militar Helyelton Almeida.

Os assaltantes, segundo versão da agência da pousada à polícia, conseguiram fugir a pé e usaram uma lancha para fazer a travessia do rio. A Polícia Militar informou que realizou buscas e prenderam um homem na Vila Paricatuba, a 25 km de Manaus, que é suspeito de ser irmão de um dos assaltantes. Ele está detido na delegacia de Iranduba para prestar esclarecimentos sobre a vida do irmão e auxiliar nas buscas aos assaltantes.
Fonte:G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.