Homem é preso após comprar peixe usando dados de cartões roubados

Um homem de 24 anos foi preso em flagrante nesta segunda-feira (10) após comprar mais de 90 quilos de pescado usando nome falso e dados de cartões de outras pessoas, em Ananindeua, região metropolitana de Belém. De acordo com a polícia, a negociação foi feita usando dados de uma pessoa do Rio de Janeiro. Suspeito confessou ter comprado entre 200 e 300 dados de cartões diferentes de um conhecido pelo valor de R$ 300. Ele também fazia compras de eletrônicos na internet usando os dados dos cartões.
golpe cartões roubados ananindeua pescado (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Suspeito usava dados de cartões de vítimas para realizar compras de pescado via telefone e eletrônicos na internet. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Segundo a polícia, o valor da compra do pescado foi de R$ 2 mil. Uma equipe da Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos realizou o flagrante no momento em que o suspeito recebia a carga em sua casa, no Conjunto Cidade Nova VI, bairro do Coqueiro.
De acordo com as investigações, no ano passado, o suspeito comprou cerca de uma tonelada de camarão rosa graúdo, avaliada em R$ 40 mil, por meio do mesmo golpe. A prisão foi comandada pelo delegado Samuelson Igaki, da Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos. Segundo ele, desde julho do ano passado a equipe de policiais civis já investigava um golpe contra uma empresa de venda de peixe e camarão rosa por telefone.
Golpe
Na ocasião, informou o delegado, a denúncia feita pela empresa deu início às investigações. O delegado disse que o preso não trabalha com cartões clonados, pois não usa o cartão, mas apenas os dados dos cartões necessários para fazer compras por telefone e pela internet, com os dígitos que formam o número do cartão, os três dígitos do código de segurança e a data de validade – mês e ano – do cartão, informações que sempre são solicitadas para fechar compras com o cartão.
De posse da informação de uma nova entrega, que seria feita na Cidade Nova VI, com uso de dados de um cartão pertencente a uma moradora do Rio de Janeiro, os policiais civis passaram a acompanhar o deslocamento e a chegada do veículo com o produto na casa do acusado.
Ainda conforme a equipe policial, os valores das compras eram debitados nas contas dos donos dos cartões, que, ao receberem a fatura, faziam a reclamação à operadora do cartão. “Assim, os valores cobrados eram estornados, e a empresa responsável pela venda dos produtos ficava no prejuízo”, disse Samuelson Igaki.
Segundo a polícia, o suspeito admitiu que também usava os dados para comprar em diversos sites. “Ele confessou ter comprado desde notebooks até telefones celulares, que foram revendidos em sites de compras”, detalhou.
O delegado ressaltou que as investigações prosseguirão, para identificar as pessoas que compraram os produtos, para apurar se as compras foram feitas de boa ou má-fé. “Elas podem responder, no mínimo, pelo crime de receptação culposa”. O delegado orienta às pessoas que não comprem, pela internet, produtos cujos preços estão muito abaixo do valor de mercado.
Fonte:G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.