Governo propõe reajuste de 6% para servidores; sindicato contesta

Reunião de sindicalizados do Sinsepeap (Foto: Graziela Miranda/G1)Reunião de sindicalizados do
Sinsepeap (Foto: Graziela Miranda/G1)
O governo do Amapá encaminhou à Assembleia Legislativa (Alap) o projeto de lei para reajustar em 6% o salário dos servidores públicos do estado, a partir desta terça-feira (1º). Os parlamentares têm até o dia 8 de abril para votar a proposta, que não agradou o Sindicato dos Servidores Públicos em Educação (Sinsepeap), segundo o presidente da entidade, Aroldo Rabelo.
De acordo com o Sinsepeap, os professores acumulam defasagem salarial de 36,23%. Além do reajuste linear, o governo também ofereceu um acréscimo de 2,32% para a classe.
“Pedimos para que os deputados aguardem a votação pois ainda queremos sentar novamente com o governo. Pois foi apresentado o mínimo que poderia ser reajustado”, declarou Aroldo Rabelo acrescentando que o maior reajuste oferecido foi em 2012, com um aumento de 8% nos vencimentos.
Desde o dia 26 de março, o governador Camilo Capiberibe e membros da administração pública promoveram reuniões com um grupo de 22 líderes sindicais para expor as dificuldades financeiras enfrentadas pela gestão, além dos benefícios oferecidos aos servidores.
Diretor-presidente da CEA José Ramalho disse que acordo foi adiado por 'problemas burocráticos' (Foto: Maiara Pires/G1)José Ramalho, secretário de Estado do
Planejamento (Foto: Maiara Pires/G1)
O secretário de Estado do Planejamento, José Ramalho, disse que o projeto cumpre a média prudencial de 46,55% da receita líquida para gastos com pessoal, obedecendo assim os limites estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal.
“Estamos dentro do limite permitido pela lei e, ao mesmo tempo, garantido a reposição das perdas salariais estabelecidas pela previsão da inflação, que segundo projeções do IBGE, deverá chegar em torno de 5,69 % nos últimos 12 meses”, declarou Ramalho.
Fonte:G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.