Estudo mostra que crianças que ouvem mentiras tendem a mentir mais

Uma pesquisa conduzida pela Universidade de San Diego mostrou que mentir para crianças pode fazer com que elas também contem mais mentiras. O estudo foi publicado na edição de março da revista Developmental Science.
Adultos, e não apenas pais, costumam mentir para os mais novos por muitos motivos. É comum, por exemplo, que se diga aos filhos que “se você não for dormir, o monstro embaixo de sua cama irá te pegar”. Ou que se elogie um desenho que não está bonito para que a criança se sinta melhor.
O comportamento faz com que as próprias crianças comecem a inventar histórias. No estudo, 186 crianças, de 3 a 7 anos, foram divididas em dois grupos. Para o primeiro grupo, os pesquisadores diziam que havia um pote de doces na sala ao lado e perguntavam se elas não queriam ir até lá.
Na outra sala, quando as crianças descobriam que não havia doces, eram informadas que aquele fora apenas um modo de levá-las para o cômodo. Para o outro grupo, os pesquisadores diziam apenas que na sala ao lado havia um jogo divertido.
O jogo era um teste de honestidade, feito com brinquedos. Os dois grupos de crianças participaram e tiveram que associar um som com um brinquedo diferente. Em uma parte do teste, os pesquisadores saiam da sala, o que permitia que as crianças trapaceassem.
Uma câmera de vídeo mostrou que a maior parte das crianças trapaceou. De volta à sala, os pesquisadores perguntavam se a criança havia trapaceado.
90% dos que haviam escutado a mentira sobre o pote de doces e tinham de 5 a 7 anos mentiu na resposta. O número caiu para 60% entre os que não haviam escutado e tinham a mesma faixa etária.
Ter ouvido a mentira antes não fez diferença para crianças mais novas, de 3 e 4 anos. Os pesquisadores acreditam que elas não são ainda sofisticadas o bastante para reconhecer uma mentira ou que atribuíram a mentira a um engano.
No caso das crianças de 5 a 7 anos, ainda não se sabe o motivo pelo qual elas mentiram mais. Uma explicação simples é que elas imitam o modo como foram tratadas. Outra possibilidade é que elas tenham perdido a confiança em quem mentiu para elas.
A pesquisa foi feita com um desconhecido contando uma mentira. Os resultados podem ser diferentes caso os próprios pais contem a mentira porque já há um histórico de relacionamento com a criança.
“O resultado indica que os pais não devem mentir para os filhos caso desejem que elas não mintam no futuro”, disse uma das pesquisadoras envolvidas na pesquisa.
Uma pesquisa publicada em 2009 no Journal of Moral Education apontou que o hábito de mentir para crianças tem se tornado cada vez mais comum. Entre as mentiras mais contadas, estava a de que “as pessoas têm uma quantidade de ar limitada e se você continuar falando, ficará sem”. 
Fonte:UOL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.