Estrela, redenção e alívio: Héber faz três e Avaí bate o Juventus por 3 a 0

O destino é cruel com o torcedor avaiano e age com malícia. A má fase que assola o Avaí no Catarinense precisava de ares de dramaticidade para ter o seu fim – e enfim teve. Quis ele, o destino, que o experiente Cleber Santana perdesse uma penalidade – outra! – e que Paulo Sérgio se lesionasse. Assim, um ex-alvinegro, que tinha a desconfiança da torcida azurra pelo seu passado, teve de provar o sabor da redenção e de seu profissionalismo. E que prova! Héber, em noite iluminada, fez três sobre o Juventus e ascendeu a esperança do Leão em 2014, que saiu da lanterna do hexagonal. 

Héber deixou o banco de reservas para dar alegria para um torcedor em que era um antigo rival. Além disso, mostrou um belo entrosamento com o meia Diego Jardel, que também estava em grande noite. O jogador que substituiu Marquinhos teve participação nos três gols do atacante, aos 6, 21 e 32 minutos da segunda etapa.

Agora o Avaí terá, ao menos o retorno da tranquilidade e também novas peças para Pingo trabalhar. a sequência do hexagonal, o Avaí terá pela frente o Brusque, no estádio Augusto Bauer, a ex-equipe do técnico Pingo. Para o Juventus, a tabela reserva o Atlético-IB, no estádio João Marcatto. As duas partidas estão previstas para o domingo, às 16h.
Heber Avaí  (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)Héber agradece aos céus pela noite iluminada que teve na Ressacada: 3 a 0 Avaí (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

AVAÍ NÃO EMPOLGA, PERDE PÊNALTI E JUVENTUS GOLS
O começo era animador. Os poucos torcedores – 1.681 – do Avaí que compareceram à Ressacada, viram o Leão sem Eduardo Costa, Marquinhos e Roberto, impor uma pressão logo nos primeiros minutos. Aos oito minutos, Diego Jardel fez boa infiltração e foi derrubado na área. Penalidade máxima. Cleber Santana, sem as paradinhas e passinhos curtos, teve a trave como adversária. A pancada fez o torcedor avaiano sentir que a má fase ainda assolava o grupo avaiano.

Tanto é, que logo em seguida, o atacante Paulo Sérgio, em arrancada, foi para o chão ao sentir uma lesão muscular – Héber entrou aos 22 minutos. A partir daí, o Juventus se sentiu em casa. Com a pressão nas costas e com protestos da torcida a cada erro de passe, os atletas do Leão preferiram a cautela e, dentro da Ressacada, passaram a atuar no contra-ataque. Porém, a não ser por uma boa oportunidade de Jabá, em que Eduardo Neto teve de agir, o Moleque Travesso pouco incomodou. O 0 a 0 se manteve e as vaias da torcida azurra.
PRESSA, CORAGEM E NOITE ILUMINADA DE HÉBER 
Ao deixar o gramado na primeira etapa, Pingo falava em coragem e pressa para o Avaí. E pelo menos pressa o Leão teve. Aos 6 minutos, quis o destino que Héber, atacante que havia entrado no lugar de Paulo Sérgio, mostrar que poderá ser útil ao Leão e que o seu passado alvinegro pelo Figueirense ficou para trás. Depois de boa trama de Diego Jardel, o atacante bateu firme e contou com a ajuda do goleiro Maurício, que ainda tocou na bola, mas ela entrou lentamente, com sofrimento. 

Assim, mais leves, os jogadores do Leão conseguiram liquidar a partida e garantir a primeira vitória no hexagonal. Aliás, Héber o fez. Novamente em jogada de Diego Jardel, o atacante aproveitou rebote de Maurício para ampliar, aos 21 minutos: 2 a 0. Em êxtase, Héber queria mais e mostrou que o entrosamento com o meia Diego Jardel está em dia. Onze minutos mais tarde, o atacante recebeu bela bola e tocou com categoria na saída do goleiro do Juventus. Redenção e esperança para o Avaí no Catarinense.
Fonte:Globoesporte.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.