Devido a cheia em RO, supermercado da capital limita venda de produtos

Caio Fulgêncio


Em Rio Branco, supermercado orienta consumidores a não comprarem mais que cinco produtos da cesta básica (Foto: Janine Brasil/G1)Em Rio Branco, supermercado orienta consumidores a não comprarem mais que cinco produtos da cesta básica (Foto: Janine Brasil/G1)
Para não correr o risco de desabastecimento nos alimentos, uma rede de supermercados de Rio Branco resolveu adotar algumas restrições no que diz respeito à quantidade de produtos adquiridos pelos clientes, cinco unidades por compra e por cliente. O motivo para essa atitude é a cheia do Rio Madeira e as restrições no tráfego pela BR-364, única via de acesso terrestre entre Rondônia e Acre.
De acordo com o vice-presidente da Associação de Supermercados do Acre (ASA) e um dos sócios do supermercado que adotou a medida, Adem Araújo, a orientação é direcionada apenas aos produtos que compõem a cesta básica. “É uma orientação que nós estamos dando, até para os clientes não exagerarem, não comprarem além do que necessitam e, daqui a 10 ou 15 dias, correr o risco de desabastecer o mercado”, explica.
Em Rio Branco, supermercado orienta consumidores a não comprarem mais que cinco produtos da cesta básica (Foto: Arquivo Pessoal)Um dos proprietários do estabelecimento diz que
medida é direcionada apenas a produtos da cesta
básica (Foto: Arquivo Pessoal)
A fisioterapeuta Aline Santos diz que ficou assustada quando chegou ao supermercado e viu o limite de compras. “Fique preocupada, pois se isso é devido a cheia do Rio Madeira a situação deve ficar pior, porque estão dizendo que o rio vai continuar a subir”, diz.
A dona de casa Maria de Lourdes estava no supermercado e disse que não encontrou tudo o que procurava. “Aqui não tem ovo. Como pode não ter ovo? Não tem granja aqui em Rio Branco? E outra, os preços estão cada vez mais altos, nós não temos culpa da dificuldade que os empresários estão tendo em trazer os produtos, agora pagar por eles é que não dá”, reclama.
Adem Araújo diz ainda que a expectativa é que na próxima semana, o trajeto pela BR-364 volte a funcionar, mesmo com limitações. Além disso, balsas com alimentos estão com previsão de chegada para os próximos dias.
“A gente entende que a estrada deve voltar a funcionar na semana que vem, embora de forma bastante limitada e que balsas de Porto Velho devem chegar entre 20 e 25 dias trazendo 5.400 toneladas de alimentos. O suficiente para trabalhar em 1 mês e meio no Acre inteiro. Por isso, que a gente está tentando orientar o cliente”, acrescenta.
Fonte:G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.