Companhia aérea de Taiwan recebeu ameaças de ataques em Pequim

A companhia aérea taiuanesa China Airlines (CAL) recebeu na semana passada ameaças de ataques terroristas iminentes no aeroporto de Pequim, informou nesta segunda-feira (10) a empresa, que disse ter repassado a informação às autoridades competentes.
As ameaças foram reveladas após o desaparecimento no sábado (8) do voo MH370, da companhia aérea Malaysia Airlines, entre Kuala Lumpur e Pequim, que ainda não foi localizado. O avião levava 239 pessoas a bordo.

O diretor da companhia para a China, Peng Jung-min, revelou que no dia 4 de março a empresa recebeu uma ligação telefônica em sua sede central, em Taipé, com ameaças de ataques no aeroporto de Pequim.
O autor da ligação falou inicialmente em francês, mas depois, quando disseram que não o entendiam, passou a falar em chinês, disse o diretor da CAL em entrevista coletiva.
Tanto esta informação como a gravação da conversa foram fornecidas para a Administração de Aviação da China.
Após receber a chamada, a CAL reforçou suas medidas de segurança nos voos entre Taiwan e Pequim, explicou Peng.
As medidas de segurança também foram intensificadas em todos os aeroportos taiuaneses depois que CAL informou sobre a ligação ao Conselho de Segurança da ilha.
A informação sobre os possíveis ataques terroristas, segundo revelou o Conselho Nacional de Segurança em outra entrevista coletiva, foi transmitida à China e aos organismos taiuaneses relacionados, para que as medidas cabíveis fossem tomadas.
Os voos de Taiwan a Pequim estão sujeitos a controles especiais de segurança, acrescentou o conselho taiuanês.
Fonte:G1 e EFE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.