Com campo de várzea e expulsão, Vitória vence a Catuense no Carneirão

O volante José Welison poderia ser o nome da partida entre Catunse e Vitória, pela 6ª rodada da segunda fase do Campeonato Baiano 2014. Mais uma vez como titular, a jovem promessa marcou dois gols e teve boa atuação no confronto. O argentino Jonathan Ferrari ganhou uma vaga na defesa, também balançou as redes e seria outro candidato a astro principal do jogo disputado na tarde deste domingo. No entanto, o triunfo do Rubro-Negro sobre a Catuca pelo placar de 3 a 1 teve dois protagonistas que deveriam passar despercebidos. O primeiro foi o gramado do estádio Antonio Carneiro. Cheio de buracos, o campo da cidade de Alagoinhas mais parecia uma várzea e atrapalhou os atletas das duas equipes. O segundo foi a arbitragem comandada por Marielson Alves Silva, que anulou um gol legal da Catuca no primeiro tempo do duelo.

O técnico Ney Franco decidiu abrir mão do esquema com três atacantes e colocou em campo quatro jogadores de marcação no meio de campo, com Cáceres mais avançado para armar o time. O plano tático do treinador, no entanto, foi por água abaixo no primeiro tempo, com a expulsão do volante Luiz Gustavo, que acertou um pisão em Kleuber, autor do gol de honra da Catuense, e viu o cartão vermelho direto. Mesmo com um a menos, o Vitória conseguiu sair de campo com o triunfo e garantiu a classificação antecipada para as semifinais do estadual. O Rubro-Negro lidera o Grupo 2 com 16 pontos, oito a mais que o Galícia, terceiro colocado, restando apenas dois jogos para o fim da segunda fase do Baianão.
Com cinco pontos, a Catuca segue na briga por uma vaga nas semifinais do Campeonato Baiano. O Beija-Flor está na 3ª posição do Grupo 3, com um ponto a menos que o Juazeirense, segundo colocado. A Catuense volta a jogar no sábado, quando encara o Galícia em Salvador. Já o Vitória entra em campo no domingo para enfrentar o Juazeirense, no estádio de Pituaçu.
Vitória x Catuense, pelo Campeonato Baiano (Foto: Reprodução/TV Bahia)Estado do campo do estádio Antonio Carneiro prejudicou a partida entre Catuense e Vitória (Foto: Reprodução/TV Bahia)

Erro do árbitro e expulsão
Até o torcedor mais desconfiado do Vitória se empolgou com o início de jogo deste domingo, no estádio Antonio Carneiro. Ainda sem jogar bem na temporada, o Rubro-Negro começou a partida a toda velocidade, pressionando a Catuense e buscando triangulações. Com um minuto de partida, o bom rendimento deu frutos. Marquinhos se atrapalhou com a bola na grande área, foi desarmado, mas a defesa da Catuense não conseguiu afastar o perigo. José Welison aproveitou a bola espirrada e chutou forte, sem chance de defesa, para inaugurar o placar da partida.Tudo indicava que o Vitória voltaria a exibir um futebol semelhante ao do segundo semestre de 2013, quando brigou por uma vaga na Copa Libertadores da América. Contudo, o tempo mostrou que algo se perdeu no Rubro-Negro nesta temporada. 
O time de Ney Franco deixou o ritmo cair e passou a ser ameaçado pela Catuense, que chegou a marcar, mas teve o gol anulado pelo árbitro Marielson Alves Silva. No lance, Kleuber aproveitou uma cobrança de falta, cabeceou e balançou as redes. O assistente assinalou impedimento e anulou o gol, mas a posição do jogador do Beija-Flor era legal. Pouco tempo depois, Luiz Gustavo foi expulso. O volante do Vitória acertou um pisão no jogador da Catuense e viu o cartão vermelho direto. Quando o torcedor rubro-negro já se convencia que o 1 a 0 estava de bom tamanho, o zagueiro Jonathan Ferrari ampliou a partida. Dinei aproveitou cobrança de escanteio e cabeceou com força. João Paulo espalmou para frente e Ferrari, mesmo marcado, conseguiu marcar o segundo gol do confronto.
José Welison volta a aparecer
Mesmo com um jogador a menos e a vantagem no placar, Ney Franco decidiu arriscar no segundo tempo. O treinador sabia que o Vitória precisava reverter as críticas e apresentar bom futebol pela primeira vez em 2014. Insatisfeito com o rendimento do time nos 45 minutos iniciais, o treinador substituiu Cáceres por William Henrique e viu o Rubro-Negro ganhar maior presença ofensiva. Em tarde inspirada, José Welison recebeu passe no campo de ataque, invadiu a área, se livrou da marcação, escolheu o canto e chutou com convicção para marcar o terceiro gol do jogo. 
Melhor em campo, o Vitória ignorou o péssimo estado do gramado e passou a ameaçar o gol de João Paulo de todas as formas. Pelo alto, Alan Pinheiro exigiu linda defesa do goleiro da Catuca em cabeçada após cobrança de escanteio de Marquinhos. Por baixo, o camisa 1 do Beija-Flor precisou se esticar todo para evitar um chute de longe de José Welison. A partida já se desenhava para um triunfo confortável do Rubro-Negro quando Kleuber marcou para a Catuense. O jogador apareceu no lado esquerdo do ataque, conseguiu enganar a marcação, fuzilou a meta de Wilson. O goleiro do Vitória ainda conseguiu evitar que Rogério Rios marcasse de falta nos minutos finais do segundo tempo.
Fonte:Globoesporte.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.