Câmara suspende sessão sobre golpe militar após tumulto no plenário

Felipe Néri

A Câmara suspendeu nesta terça-feira (1º) solenidade em plenário para lembrar os 50 anos do golpe militar depois de tumulto envolvendo grupos contrário e favoráveis a atuação dos militares.

A sessão foi interrompida quando duas mulheres que acompanhavam os discursos, uma que defendia os militares e outra que protestava contra o golpe de 1964, trocaram empurrões e beliscões. Uma das agressoras terminou derrubada no chão.
A briga entre as duas mulheres começou logo após um grupo favorável à ditadura levantar uma faixa na galeria do plenário que dizia: “Parabéns militares 31/março – graças a vocês o Brasil não é Cuba”. (Veja ao lado o vídeo do momento em que a faixa é levantada).
No mesmo instante, convidados à solenidade que são contrários ao golpe militar levantaram cartazes com a imagem de pessoas perseguidas pela ditadura e protestaram com gritos de “Asssassinos!”. Os dois grupos trocaram acusações.

Uma senhora que se identificou como Ivone Luzardo, presidente da União Nacional das Esposas de Militares das Forças Armadas do Brasil, segurava um cartaz dentro do plenário que pedia “respeito e valorização aos profissionais militares”. Em meio à gritaria dos protestos, outra mulher, ainda não identificada, se aproximou e rasgou o cartaz de Ivone. O deputado Domingos Dutra (SDD-MA) se aproximou e tentou apartar a briga .
Em meio à confusão, a sessão foi suspensa e reaberta minutos depois. As duas mulheres continuaram tentando se agredir, enquanto parlamentares e assessores tentavam separá-las. Ivone Luzardo acabou caindo no chão, onde ainda ficou por alguns instantes, deitada e chorando.
Fonte:G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.