Bial tenta desmascarar os brothers para tirar o BBB14 da completa apatia

O recado foi em formato de míssil. E explodiu na cara de cada brother e sister. No discurso teatral que anunciou a eliminação da atriz Aline, Pedro Bial tentou arrancar a máscara dos oito sobreviventes. Enquanto ele disparava uma análise (ou seria crítica?) individual, a câmera mostrava quase em close o destinatário da missiva. Tudo bem ensaiado para não deixar qualquer dúvida aos competidores e também ao telespectador. A mensagem era explícita: ninguém lá dentro é esperto o suficiente para fazer de bobo quem está aqui fora. Vale a pena relembrar as cutucadas do apresentador:
(Câmera em Angela): Quando alguém faz do lugar de vítima seu papel? Isso não é atuar?
(Câmera em Marcelo): Quando alguém incorpora o personagem do carente profissional? Isso não é atuar?
(Câmera em Cássio): Quando alguém monopoliza o papel de palhaço? Isso não é atuar?
(Câmera em Tatiele): Quando alguém se refugia no papel de loura burra? Isso não é atuar?
(Câmera em Clara e Vanessa) Quando alguém usa uma suposta transgressão para se destacar? Isso não é atuar?
(Câmera em Valter): Quando alguém não toma partido entre partidos? Isso não é tomar partido? Atuar também?
(Câmera em Diego): Quando alguém marca a posição de que não atua nunca? Isso também não é atuar?
(Câmera em Bial): E eu aqui? Deitando regra? Não tô atuando?”
A encenação de Bial foi uma tentativa de tirar os jogadores da zona de conforto. A direção do programa precisa urgentemente acabar com o marasmo da casa. Mas, com a saída da quase vilã Aline, única que mexia com os nervos dos brothers, a tendência é desanimadora: muito papo, pouca ação, conflitos mínimos e clima sonolento de colônia de férias. Se nada mudar, o BBB14 vai se arrastar nessa monotonia insuportável por mais 20 dias, até a final, prevista para 1 de abril.
Aline foi muito infeliz na casa. Em busca de aceitação, a gaúcha conseguiu apenas piorar o complexo de inferioridade e o medo da solidão. Saiu sem paixão nem amizades. Pelo menos imprimiu uma marca no programa. Melhor ser lembrada como geniosa e manipuladora do que não deixar registro algum. Ao derrotar sua rival, Marcelo já se sentiu campeão. Contudo, o excesso de autoconfiança poderá ser venenoso. Ele ganhou uma batalha, mas está longe de vencer a guerra. Cássio e Valter não estão muito atrás no favoritismo. E Diego ainda é uma aposta para levar o prêmio de 1,5 milhão.
Entre as mulheres, Angela tem força, mas está se achando o último gole de champagne. A arrogância costuma ser traiçoeira. Clara e Vanessa perderam energia no jogo. Apenas fofocam, fofocam, fofocam… O carisma do casal se diluiu nos últimos dias e a ousadia sexual já não desperta interesse. Tatiele é a incógnita desta edição. Tem perfil de vice-campeã, assim como foram Manuela (BBB2), Grazi (BBB5), Gyselle (BBB8) e Fernanda (BBB10). Porém a miss ainda poderá surpreender. 
http://diversao.terra.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.