‘BBB14’: paredão entre Marcelo e Tatiele é final antecipada

Durante todo o BBB14, os confinados tentaram evitar colocar um casal no paredão. Na última berlinda, na qual Vanessa foi indicada por Cássio, o resto da casa livrou Clara justificando que as duas não mereciam ir juntas. Mas ninguém se importou de colocar dois melhores amigos juntos para disputar a preferência do público. Marcelo, que nos últimos dias tem se mantido isolado da casa, só conseguia conversar com Tatiele. E ela, desde que o namoradinho Roni foi eliminado, também andava grudada no curitibano e tentava inseri-lo de volta ao grupo. A partir de terça-feira, porém, um deles continua sozinho a caminhada – que tem grandes chances de terminar na final do programa.

Os dois têm muito em comum e se encaixam em perfis que o Brasil gosta de eleger como vencedores do reality show. A versão feminina e masculina do bom mocismo, que beira à inocência, embora seja bem cansativo também. Marcelo errou bastante, sim, mas por amor – exagerado e quase nunca correspondido. E que mulher não solta um suspiro, mesmo que de leve, por um moreno, alto, bonito e sensual que ainda por cima não tem vergonha de dizer o que sente? Já Tatiele é a rainha das pérolas da casa, que perguntou: “O que significa Paul McCartney?”. Ela conquista, porém, ao saber rir de si mesma. Ambos também irritam, claro, porque essa é a especialidade de todos ali.

A miss está estreando no paredão, portanto ainda não se sabe a força que tem, mas a popularidade é inegável. O administrador é veterano, está na sexta berlinda – a quarta consecutiva – o que faz dele um oponente temível. É um paredão comparável ao de Ísis e Diego Alemão, os queridinhos do BBB7. Ela era fofa, e ele não fugia de uma boa briga, mas sabia agradar. Não chegaram a formar um casal (no reality), porque tinham Fani entre eles, mas estavam sempre muito próximos. Casa e líder surpreenderam ao colocar um enfrentando o outro no meio do jogo. Ela saiu, e sua torcida foi incorporada à dele, levando-o à vitória. É um cenário que tende a se repetir também desta vez.

http://veja.abril.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.