Adidas investiga acusações de comportamento inapropriado de Kanye West


Funcionários da empresa acusam Ye de intimidações e comentários inapropriados de natureza sexual. Kanye West no palco do VMA em 2016
Reuters/Lucas Jackson/File Photo
A marca esportiva Adidas anunciou, nesta quinta-feira (24), a abertura de uma investigação após funcionários da multinacional acusarem o rapper Ye, antigamente conhecido como Kanye West, de intimidações e comentários inapropriados de natureza sexual.
Ex-funcionários da Adidas acusaram a empresa alemã de ignorar as denuncias sobre o comportamento de West.
A marca já havia rompido relações publicitárias e comerciais com o polêmico cantor em outubro, após comentários antissemitas.
Uma investigação da revista americana “Rolling Stone” revelou recentemente uma série de depoimentos de ex-funcionários da Yeezy, marca de calçados esportivos desenvolvida por Ye em parceria com a Adidas.
Eles acusam o rapper de ter mostrado vídeos e imagens de caráter pornográfico, incluindo uma foto íntima de sua ex-mulher, Kim Kardashian, para funcionários da marca e de ter mantido uma conduta inadequada com eles durante anos.
Vários ex-executivos da Adidas enviaram esta semana uma carta aos líderes do grupo expressando suas reclamações.
“Está longe de estar claro que as acusações na carta anônima sejam verdadeiras”, indicou a Adidas em um comunicado.
“No entanto, levamos essas acusações muito a sério e tomamos a decisão de abrir uma investigação independente sobre caso imediatamente”, acrescentou.
Segundo a “Rolling Stone”, ex-executivos da Yeezy acusam os funcionários da Adidas de não ter feito o suficiente para proteger seus funcionários do “comportamento perverso e predatório” de Ye com “as mulheres”.
O cantor “insultou e muitas vezes fez referências sexuais perturbadoras quando fazia comentários sobre o design de sapatos esportivos”, denunciam na carta.
A revista narra um episódio ocorrido em uma fábrica da Adidas em Qinyan, na China, que o rapper visitou para supervisionar a fabricação de alguns tênis.
Ao ver o resultado, não gostou e começou a gritar com uma funcionária: “Quero que você me faça um sapato com o qual eu possa transar”.
Os ex-funcionários acusam a direção da Adidas de esquecer sua “bússola moral” e ter “ignorado o comportamento público incendiário de Ye e as alegações da equipe da Yeezy”.
A colaboração entre o rapper americano e a marca alemã tem sido uma das mais frutíferas do mundo da moda nos últimos anos.
Os tênis Yeezy, no mercado desde 2014, foram um grande sucesso de vendas e ajudaram o artista a se tornar bilionário.
Além da Adidas, as marcas de roupas Balenciaga e Gap também cortaram relações com ele após seus comentários antissemitas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.