Acopiara: Escola Elodia Tavares na Vila São João aumenta proficiência de 10,9% no 2º ano, 5,4% em português do 5º ano e 17,6% em matemática do 5º ano

A Escola Elodia Tavares de Souza, situada na Vila São João, periferia do município de Acopiara-CE, possui apenas 4 salas de aulas, 1 pátio pequeno e 1 biblioteca que contou no ano de 2013 com uma parceria do BANCO ITAÚ que doou 100 livros para o acervo bibliográfico.
Os alunos são residentes na Vila São João, Ruas 24 de maio, Eduardo Gurgel Valente, Cobal, Pedreiras e Ramira. Filhos de pais humildes, grande parte reside com avós, trabalham na agricultura ou no comércio.
Um dos maiores problemas encontrados para o Aprendizado, principalmente para as turmas de 2º ano, que no ano de 2012 já havia declinado sua nota no SPAECE, foram à falta de comprometimento de alguns pais, principalmente no contra-turno, no qual os alunos teriam que participar do reforço fora do horário de aula.
A instrução da Secretaria de Educação era de que dividisse às 4 horas de contra-turno, para que o mínimo de aluno possível estivesse em apenas 1 hora de reforço, mas nesta Escola vimos que não seria possível, pois os pais trabalham e não tinham condições de virem deixar seus filhos, sem que os mesmos não tivesse que esperar esse horário passar. Então decidimos dividir os alunos por nível em 1º e 2º horário, mediante resultados nos simulados realizados semanalmente, o que fez aumentar a frequência dos alunos no reforço.
Inicialmente o reforço do 2º ano acontecia com as professoras Antonia Duarte (Leônia) e Dulcicleide, com os alunos que não sabiam ler ainda. As professoras de sala não eram as mesmas do contra-turno, a do 2º ano A era Hérita Maciel Guedes que a tarde ensinava na Barra do Ingá e do 2º ano B era a Antonia Magislene que a tarde ensina o 5º ano nesta Escola e para não haver divergências nos conteúdos as professoras de sala repassava para as professoras de reforço o plano de aula da semana. 
Nos meses finais de 2013 recebemos as denominadas madrinhas Pamella e Thaiz para auxiliarem nos reforços.
Os reforços aconteciam no pátio da Escola, na Biblioteca, utilizando jogos, fichas, targetas, e o tradicional quadro de giz, e eram divididos da seguinte forma:
2º ano: Dulcicleide- alunos que não sabiam ler; Pâmella- alunos que já estavam lendo, mas que ainda não tinham desenvolvidos os descritores- Leônia- alunos que já liam, mas sem fluência, trabalhado com estes interpretação e produção textual diariamente.
De acordo com as Avaliações vimos à necessidade de dividir a turma em dois horários no contra-turno, no qual o primeiro era para alunos com maiores dificuldades em Português e no segundo horário, os alunos que tinham mais dificuldade em matemática. Alguns alunos vinham os dois horários, por terem dificuldade nas duas disciplinas.
Reforço do 5º ano aconteceu da seguinte forma:
Dulcicleide- alunos que não sabiam ler.
Thaiz: 1º horário – Português; 2º horário – Matemática. Praticamente toda a sala vinha para o reforço.
Para os alunos faltosos visitas constantes e registros em atas. Os pais que persistiam em não mandar seus filhos para a aula sem justa causa, foram encaminhados para o Conselho Escolar. Uma família foi encaminhada para a Promotoria de Justiça, pois não cumpriu com o acordado no Conselho e na Escola. O promotor decidiu transferir esses alunos.
As faltas nesta Escola por motivo de doença só são justificadas mediante Atestado Médico e os pais são cientes disso.
No final de 2013 o Promotor de Justiça Dr. Naelson veio até a Escola e verificou que estava corretíssimo o controle de frequência e parabenizou a escola pelo bom desempenho e esforço e que era para todas as escolas seguirem o que estávamos fazendo.
Um dos maiores parceiros para a conquista de um bom resultado no SPAECE 2013 foi o policial do PROERD o Duarte Júnior que nos ajudou muitas vezes em reuniões com os pais, em visitas domiciliares,  e indo com a direção ao Conselho Tutelar e a Promotoria de Justiça.
Dias antes da Avaliação do SPAECE a diretora Yuçara Gaspar e a Coordenadora Pedagógica Marla Ianny, tendo em vista que dois alunos , muito faltosos, poderiam não aparecer para as provas, as mesmas levaram os dois alunos para suas casas, no qual passaram quase um mês para que estes não faltassem de maneira alguma no dia da prova.
Uma preocupação do núcleo gestor era garantir que nenhum aluno faltasse no dia do SPAECE, mesmo aqueles que haviam sido admitidos e que a nota não seria da escola, garantimos 100% de frequência e ainda fomos buscar dois alunos no sítio, um que o pai havia viajado e não o trousse e o outro que havia passado por uma cirurgia, isso  para assegurar a participação de todos.
Foi um trabalho difícil, haviam alunos especiais sem laudo, que tivemos que trabalhar bastante com estes, pois apesar das suas necessidades especiais foram avaliados sem atendimento preferencial.
Agradecemos a todos os professores que batalharam bastante e em tão pouco tempo conseguimos alcançar milagres e a Deus por essa conquista tão esperada da qual obtivemos um aumento da proficiência de 10,9% no 2º ano, de 5,4% em Português do 5º ano e 17,6 em Matemática do 5º ano.
Yuçara Ferreira de Mendonça Gaspar de Oliveira
Diretora Geral
Marla Ianny Freitas do Nascimento
Coordenadora Pedagógica
Do blog Carlos Dehon

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.